NO AR
Evangelização

Papa Francisco: armas nucleares, humanidade corre risco de suicídio

31/10/2017 às 07:10

Cidade do Vaticano (RV) - “A humanidade corre o risco de suicídio.” Foi o que disse o Papa Francisco durante sua visita à sede do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, nesta segunda-feira (30/10), referindo-se à ameaça das armas nucleares.

Numa nota divulgada, nesta segunda-feira, o Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Greg Burke, informa que na próxima semana se realizará, no Vaticano, um encontro importante sobre o tema “Perspectivas para um mundo livre de armas nucleares e para o desenvolvimento integral”.

“O Santo Padre trabalha com determinação a fim de promover as condições necessárias para um mundo sem armas nucleares, conforme reiterado por ele, em março passado, na mensagem para a ONU. É falso falar de mediação da Santa Sé”, afirma Burke, como afirmado pela mídia italiana sobre a crise em andamento entre Estados Unidos e Coreia do Norte.

O encontro, promovido pelo Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, se realizará na Sala Nova do Sínodo, no Vaticano, nos dias 10 e 11 de novembro próximo, “com a participação de personalidades de alto nível”, segundo a subsecretária do organismo vaticano, Flaminia Giovanelli, entrevistada pela Rádio Vaticano – Secretaria para a Comunicação.

Giovanelli fala sobre o que o Papa disse durante sua visita ao Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral.

Giovanelli: “O Papa sublinhou mais uma vez, algo que faz habitualmente, o fenômeno do comércio de armas. Reiterou a sua denúncia contra esse comércio de armas que estimula e alimenta esses redutos de conflitos, que não são redutos de conflitos, mas, disse ele mais uma vez: ‘Estamos numa verdadeira guerra’. Falando sobre as armas nucleares, uma ameaça que infelizmente está presente há décadas e se torna mais aguda, como nos dias  atuais, falou também de ‘suicídio da humanidade’, do risco de suicídio da humanidade. Proferiu palavras muito fortes.”

RV: Como nasceu esse encontro no Vaticano?

Giovanelli: “Diria que nasceu do querer dar um seguimento ao Tratado sobre a Proibição de Armas Nucleares adotado em julho passado e assinado pela Santa Sé em setembro, com grande convicção. Nasceu disso e certamente tudo isso caminha na direção daquilo que o Santo Padre deseja, de querer sublinhar algo positivo que aconteceu, pelo menos do ponto de vista simbólico, com a assinatura do Tratado. Depois, há também o aumento da crise nuclear e por causa disso esse congresso tornou-se realmente um momento muito importante. Tivemos uma ótima resposta de todas as instâncias que interpelamos, tanto da comunidade internacional quanto dos Prêmios Nobel. Participarão 11 delas e haverá também testemunhos de sobreviventes da tragédia de Hiroshima.”

(MJ/SC)

 

Fonte: Rádio Vaticano

 

Comentários

Mais da Rádio Espinharas

Evangelização

Grupo de oração realiza show católico no dia 14 de novembro

O grupo de oração Divino Salvador, estará realizando dia 14 de novembro, no largo da  igreja de Nossa Senhora de F...

Evangelização

Paróquia Nossa Senhora das Neves, Conjunto Bivar Olinto, se prepara para ordenação de um novo padre

A Paróquia Nossa Senhora das Neves, situada no Bairro Bivar Olinto, sediará uma Ordenação Sacerdotal na pr&oacut...

Evangelização

Padre Fabricio celebrará Missa da renovação da Aliança quinta no Santuário Mãe Rainha

Nesta quinta-feira (18), às 19 horas acontecerá no Santuário Mãe Rainha em Patos, a Missa da renovaç&atil...

© 2011 - 2018. Radio Espinharas - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: