NO AR
Gerais

Em Patos, justiça determina atender 30 por dia, mas centenas de trabalhadores da Maternidade e do Hospital comparecem a Caixa Econômica e enfrentam problemas

13/09/2019 às 09:09

Por determinação da Vara do Trabalho de Patos, através de decisão da juíza Dra. Francisca Poliana Aristoteles, centenas de trabalhadores do Hospital Regional de Patos e da Maternidade Dr. Peregrino Filho, ambos em Patos, tiveram a liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) após a rescisão de contrato com o Instituto Gerir.

A magistrada, sabendo das limitações de atendimento da demanda judicial por parte da Caixa Econômica Federal, agência do Guedes Shopping, determinou que fossem atendidos apenas 30 trabalhadores por dia, porém, diante da carência financeira, centenas compareceram ao órgão na manhã desta quinta-feira, dia 12, e se gerou transtornos.

São mais de 400 trabalhadores enfrentando dificuldades por dois meses sem salários pagos no Hospital Regional de Patos e outros também na Maternidade Dr. Peregrino Filho. A necessidade e a falta de organização para se buscar o FGTS fez os trabalhadores reclamarem do atendimento e os constrangimentos foram e são inevitáveis.

Alguns trabalhadores chegaram na madrugada desta quinta-feira para garantir o atendimento. Outros se propuseram a dormir dentro da agência da Caixa Econômica Federal e também nas dependências do Guedes Shopping para ter o atendimento na sexta-feira, dia 13, porém, foram desencorajados diante dos transtornos e das exigências legais de segurança.

A situação deve se repetir nesta sexta-feira e deve ficar cada vez pior, pois, com a liberação de R$ 500,00 do FGTS através de decisão do Governo Federal, a agência deve receber mais trabalhadores de Patos e de toda a região. Neste sábado, dia 14, de forma excepcional, a agência da Caixa Econômica Federal será aberta diante da demanda.

Funcionários da Caixa Econômica relataram que é quase impossível atenderem a todos e pediram paciência, compreensão e solidariedade para não geram problemas que acabem prejudicando ainda mais o atendimento. A Caixa Econômica deve começar a pagar os salários atrasados dos trabalhadores da Maternidade e do Hospital, por decisão judicial, a partir da próxima terça-feira, dia 17.



Jozivan Antero – Patosonline.com

 

Comentários

© 2011 - 2019. Radio Espinharas - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: